Todo dia é igual aos outros até não ser mais

As mesmas mãos de sempre abrem ruidosamente a cortina, convidando o sol a iluminar tudo que há de inanimado naquele lugar. Tudo menos ela. Se a perguntassem, ela diria que também é um objeto inanimado, ao menos é assim que ela se sente, mas já não a perguntam mais nada. Ela espera o barulho que … Continue lendo Todo dia é igual aos outros até não ser mais

Kintsugi

As árvores passavam voando ao seu lado.  Vultos estáticos. E mesmo sabendo que eram somente árvores, ela jurava que ouvia assobios.  Com certeza eufóricos com a sua rapidez.  O vento continuava, e não desmentia.  Pedais compassados, ultrapassavam seus próprios recordes.  Para Akemi, ter uma irmã gêmea era todo dia tentar ser outra.  Alguma que fosse … Continue lendo Kintsugi

Como é alto o silêncio que a gente grita pra dentro

Depois daquele silêncio constrangedor que incomoda a garganta. Aquele silêncio que um olha pro outro e quer falar e tem o que falar, na verdade tem muito o que falar. Aquele silêncio de um olhando pro outro querendo confessar, querendo dizer, querendo ser honesto. Depois daquele silêncio que vem depois de uma briga, de verdades … Continue lendo Como é alto o silêncio que a gente grita pra dentro

Horrivelmente perfeito

Você é tão horrivelmente boa! A raiva e o desprezo na voz dele eram palpáveis, e a reação dela naquele momento foi a mesma de quem se sente prestes a ser atacado, pupilas arregalando e pálpebras fechando, corpo retesado, respiração presa; mas o ataque não veio. Ele ainda exalava raiva por todos os poros, ela … Continue lendo Horrivelmente perfeito

CLEMENTINA E ZEQUINHA

Clementina era uma menina muito sensível, desde que nasceu, assim diziam e repetiam os seus pais. Sofreu muito para aprender a dormir em seu próprio quarto, não porque não conseguisse dormir em seu próprio quarto, mas porque não conseguia dormir. Conte carneirinhos, dizia o pai, beba um copo de leite quente, dizia a mãe. Mas … Continue lendo CLEMENTINA E ZEQUINHA

Novo dia, nova história e um novo eu.

Repetição. Tudo está onde deveria estar? Princípio: tonteio minha cabeça em busca de respostas. Quando tudo isso começou? E porque? Levanto o meu sono intrépido. Investigo meu acordar: que lugar? Reconheço uma única coisa: o meu nome na voz aveludada que me chama ao longe. Levanto devagar as minhas dúvidas recorrentes. Teremos um dia lindo, … Continue lendo Novo dia, nova história e um novo eu.

Amarelo brilhante

Quando eu era criança, minha avó me contou que cada medo tinha uma cor diferente e que se olhássemos atentamente, veríamos várias cores andando por aí vestidas de pessoas. “Então é por isso que o Batman é preto, vó? Porque ele não tem medo de nada?” Depois cresci e não tinha tempo para medos e … Continue lendo Amarelo brilhante