A brusca dor do poder…

Rogério: de onde? como? para onde? por quê? alguma pessoa um dia saberá?
Dra. Marlene: Nunca saberemos. Nem sei por que ainda tentamos entender.
Rogério: mas por quê?
Dra. Marlene: De onde vem tantas perguntas hein?
Rogério: da curiosidade em te conhecer melhor
Dra. Marlene: Só deixo me conhecer melhor, se for com os pés no chão
Rogério: não sentes falta de voar bem alto?
Dra. Marlene: Não quero pensar muito nisso.
Rogério: o que te impede?
Dra. Marlene: A profissão, o dinheiro, a corrida diária.
Rogério: isso tudo eu não quero. prefiro meus desejos
Dra. Marlene: Você é jovem, vai querer tantas coisas ainda.
Rogério: como por exemplo?
Dra. Marlene: Vai querer amar loucamente, morrer diariamente de saudade, chorar de ciúmes..
Rogério: isso ainda não é para mim. estou numa fase brutal. intenso. vivo para o amanhã
Dra. Marlene: Isso. Eu não posso mais.
Rogério: como não? não pode ou não queres?
Dra. Marlene: Ninguém saberá.
Rogério: nem você?
Dra. Marlene: nem eu…
Rogério: Nossa… Mas sendo assim, por que tentas me tolher?
Dra. Marlene: não tento. você esta entendendo tudo errado. estou tentando te colher.
Rogério: Pode colher os frutos de nossa relação, aceita?
Dra. Marlene: ah, bruta flor do querer….
Rogério: Isso é gíria antiga?
Dra. Marlene: (gargalhada escandalosa) meu menino…..
Rogério: ……
Dra. Marlene: se fosse 10 anos atrás, nessa mesma conversa, me entregaria. Talvez nunca tivesse saído de Pernambuco…
Rogério: Sei… Se arrepende?
Dra. Marlene: disso não, tive meus momentos de romance, de bossa-nova…
Rogério: Ah, te proponho então alguns momentos de rima livre…. Quer?
Dra. Marlene: como assim?
Rogério: Esqueça teus paradigmas. Vamos dar uma de maluco. Brincar de cowboy, de mocinha, bandido, herói… entregue-se, nem que por um instante apenas.
Dra. Marlene: não sei…
Rogério: Qual sua dúvida?
Dra. Marlene: Eu te quero, como sou. Não te quero como és.
Rogério: e eu queria querer te amar….
Dra. Marlene: como?
Rogério: com ternura, com versos, mas sou puramente tesão, desejo, maluco.
Dra. Marlene: …..


Rogério, estudante, vinte e poucos anos. Agora dorme no colo de Dra. Marlene, mulher que ensinou a ele que afobamento não leva a lugar nenhum. Ele, um simples jovem, deslumbrado com os sentimentos. Efervescem dentro daquele peito. Nem ele sabe ao certo o que quer. Mas Dra Marlene, experiente, vivida, acredita que tudo é passageiro, frívolo. Dando lições para Rogério, ela se contradiz. Contra tudo, ela diz que não quer. Mas quer. E assim, infinitivamente, deliberadamente ela dorme. Pois nos sonhos, todos seus quereres viram realidade.

8 comentários em “A brusca dor do poder…

  1. Adoro as formas que você encontra para se diferenciar.

    Ótimo texto. Ah, o querer.

  2. “te proponho então alguns momentos de rima livre”

    Tem proposta melhor?

    Adoro teu jeito sempre novo de executar as ideias, ficou muito bom!

  3. Dra. Marlene, mulher madura mas no colo de Rogério não é mais que uma menina.

    Contraditória é a vida e o coração quer o que quer, não é?

  4. Cansei de sonhos, de amor, de ilusão e de muitas coisas, mas seus textos são tão bons que eu até paro pra pensar se não foram eles que cansaram de mim.

  5. Mas como é versátil a escrita desse menino!

    Teatral.

    “Vai querer amar loucamente, morrer diariamente de saudade, chorar de ciúmes..”

  6. Alguns diálogos são para ficarem gravados, alguns que travei ainda repercutem na minha mente, cada hora de um jeito diferente, sendo nunca os mesmos. Porque a vida é um eterno dançar de contradições.

    abraços,
    @paraquenomes

Os comentários estão fechados.