s-u-t-i-l-m-e-n-t-e

Quando você estiver triste, eu vou te abraçar.
Quando você estiver louco, eu vou me afastar.
Quando você estiver fogo, eu vou me encaixar.
Quando você estiver bobo, eu vou disfarçar.
Vou, sim, pode confiar.

Mas não me peça nada disso.
Porque aquilo que se pede, sem encanto fica.
Morro por você, se eu quiser.
E eu vou querer, se você não me pedir.
E se acontece de você me pedir algo que eu já iria te dar…
Você morrerá. Em mim. Dentro de mim.
Exatamente como um adolescente que vai arrumar o quarto, mas desiste da ideia no exato momento em que recebe a ordem de fazê-lo.
Uma rebeldia sem causa, eis o amor.
Não. Não estou certa de que seja sem causa.
Uma rebeldia cheia de causas.

Um adolescente-rebelde-cheio-de-causas, em busca de alguém que não lhe dê ordens, mas desperte vontades.
Mas se eu te peço pra não me pedir coisas, estou matando o seu amor por mim.
Então faça tudo s-u-t-i-l-m-e-n-t-e.

Me peça sem deixar que eu perceba.
Me ame sem me deixar demasiadamente segura.
Me desame sem me deixar desamparada.
Me conquiste sem que eu perceba.
Tome as rédeas, sem tirá-las das minhas mãos.
Me abrace, sem tirar o meu contorno.
Me beije, sem me sufocar.

E de vez em quando jogue todas as minhas demandas e advertências no lixo, e faça o que bem entender. 
Só não me deixe perceber.



10 comentários em “s-u-t-i-l-m-e-n-t-e

  1. Lindo, Aninha!
    Sútil, simples e ao mesmo tempo, completo.

    Tão completo que vários trechos serviriam para ilustrar coisas que às vezes eu não sei dizer.

  2. Uma escrita tão sutilmente marcante que ao lê-la vai inscrevendo-se no corpo, alma, sentimentos, desejos…
    Como o amor, que aos poucos, vai demarcando cada parte..!
    Teu flerte com a literatura está virando amor, hein Ana?!!
    Abraço, Bianca.
    @Bi_Mor

  3. Ouvi essa música a semana inteira, porque ela diz muito sobre o que venho sentindo, e aí leio teu texto e me vejo ainda mais…
    Escreves tão lindamente. Já disse isso, né? Vou dizer sempre! <3

  4. nem sempre o melhor é ser sútil, nem sempre o melhor é mandar, ou pedir, nem sempre é bom deixar de ser sútil. porque a vida é feita de nem sempres.

    besos,
    @paraquenomes

  5. E quem vai dizer que isso tudo não é tão lindo? E quem não irá querer todo esse bem-querer de um no outro?

    Só poderia ser lindo, nada mais. Porque você, além de soltar as palavras desse jeito tão natural, solta também esse coração. Coração mais lindo!

    A beleza irradia das tuas letras, Ana. De um jeito infinitamente lindo. S-u-t-i-l-m-e-n-t-e.

  6. lindo o poema-música dentro de outro poema.

    concordo com o sal “a vida é feita de nem sempres”.

    vezenquando é lúdico despirmos nossos “atavismos sentimentais” e apenas deixar acontecer… sem galhos nem traumas nem tralhas…

    beijo.

    ps.: obra de arte?! de qualquer forma, agradeço emocionado… e constrangido. 🙂

  7. Vale o que eu disse sobre o texto da Carina… Mudar as palavras de lugar, como quem brinca com os móveis da sala, faz toda a diferença!

    Beijo, Aninha!

  8. Ana, você e esse dom maravilhoso de revestir suas mãos de carinhos (tão) sinceros, ofertados sutil-e-generosamente, em forma de palavras que afagam e acarinham, diretamente, nosso coração.

    Como é bom ler você…

Os comentários estão fechados.