Simplesmente

É tudo muito simples. Quando eu estiver triste, me abrace. Quando eu estiver louca, não se afaste, também me abrace, e ria um pouco. Quando eu estiver fogo, arda comigo. Quando eu estiver chorando, me dê a mão. Quando eu te expulsar, fique. Quando eu te odiar, me ame. Quando eu te amar, não fuja. Quando eu gritar, me beije. Quando eu estiver longe, me guarde do lado de dentro.
Quando eu estiver tua, esteja meu. Quando eu quiser te matar, segure meu braço, segure minha mão, e não solte. Esteja, assim, sempre ao meu lado. Sutilmente, suavemente, simplesmente.

6 comentários em “Simplesmente

  1. Ler as tuas palavras me faz visualizar um [re]encontro doce, muitas cores, um tanto de chuva molhando corpos delineados e um amor intenso, escancarado, embora suave e sutil.
    Amei. Como sempre amo tudo o que escorre dos teus dedos, e do teu coração.

    Carina-menina-do-amor, um beijo.

  2. nossa, vale o mesmo comentário que fiz pra ana “lindo o poema-música dentro de outro poema”.

    outra coisa: vocês combinaram isso. 😀

    beijo.

  3. Simples. E de tão singelo, grande.

    Às vezes a gente pega as palavras, muda de lugar como quem troca os móveis da sala e o efeito… Voilà!

  4. “Meus gostos são simples: prefiro o melhor de tudo.” (O. Wilde)

    Você traduziu, lindamente, com a sutileza e despretensão inerente aos sábios, o que era apenas mais uma frase de efeito.

    A leitura “me valeu o dia”.

Os comentários estão fechados.