Amor mudo, sentimento morto

Eu pedia com olhos de apaixonado:
Fale amor.
Converse comigo.
Dialogue.
Não me deixe sem saber o que se passa.
Fale comigo.

Eu pedia como quem anseia por atenção
Fale amor
Podemos dar certo.
Eu tenho tanto amor por ti
Não gosto de te ver amuada.
Fale comigo.

Eu pedi isso tudo.
Enquanto você dizia me amar.
Enquanto eu te amava.
Eu falava.
E tudo o que você me falou foi:

“Não me fale seu sentimento.
O meu faleceu.”

9 comentários em “Amor mudo, sentimento morto

  1. Lembrei-me de Kundera: “Não há amor que sobreviva ao mutismo”.
    Ou será que o mutismo já é sinal da morte do amor?

    Belíssimo, Cláudio! 🙂

  2. Perfeito,o diálogo é sempre base e ele não se manifesta apenas em palavras,ele nasce em olhares e se concretiza com palavras.
    Nada pior do que guardar pra si o que está ruim,devemos mesmo é falar,botar pra fora tudo o que não faz bem.
    Abraço,=)

  3. Tanta coisa acontece entre um silêncio e outro, tanta coisa deixa de acontecer.

    Sinceramente, não sei bem como não ficar um pouco louco.

    Tapa, melhor assim. Triste quando as almas ficam aprisionadas em sentimentos mortos.

    Parabéns pelo texto. =)

  4. amor precisa de diálogo, não de monólogos ou silêncio constante. e você com seu texto mostrou isso de maneira poética.

    abs,
    @paraquenomes

  5. Quando o sentimento do outro morre, morre também um pouco do outro que existia para nós. É um fim de relacionamento que te põe viúvo (a).

Os comentários estão fechados.