Eu morreria mil vezes de amor por você

Você já reparou quanta gente morta vive por aí? Ah, não faz essa cara de “lá vem ela e suas maluquices”, eu tô falando sério. Fico vendo e ouvindo as pessoas fazerem as mesmas coisas todos os dias, tendo os mesmos pensamentos, repetindo os mesmos erros. Outro dia saí com um casal de amigos e foi tão angustiante, sabia? Estão lá, juntos há 13 anos, e não se falam direito há não sei quanto tempo. Não, não é que estejam brigados, até se dão bem, mas não conversam. Ou eu falava de um assunto com um, ou de um assunto diferente com outro. Não havia nada que fizesse os dois participarem da mesma conversa. E isso já dura anos. Ela me diz que eles não têm mesmo diálogo, que não têm mais paixão um pelo outro. Mas que também não tem coragem de se separar. Eu sei que cada um sabe de si, as pessoas têm lá suas razões, mas eu vi e pensei que não quero isso pra mim. Por que eu estou te contando essa história? Bom, acho que estou enrolando pra criar coragem. Pra te dizer que desde que te conheci vivo presa entre a paz e o terror. E  que quando te vejo meu coração bate tão alto que tenho medo de que você escute. A cada vez que me despeço de você estou exausta de tanto esforço que faço para respirar normalmente ao seu lado. E quando você me abraça, é como se nada de ruim pudesse mais acontecer. Só que aí o abraço termina e você vai embora e aí eu te odeio por não ficar, por não perceber que eu quero que você fique, por não saber que eu morreria mil vezes de amor por você. E não tenho a menor ideia do que você acha disso, se vai rir da minha cara, ou sair correndo, ou ficar com pena e me dizer uma daquelas frases horríveis tipo “eu tenho muito carinho por você”, ou “você é uma pessoa especial”, olha, se for falar algo assim prefiro que você vire as costas e vá embora, porque acho que eu morro se escutar algo assim vindo de você. O quê? Como assim, eu não tô tagarelando, tô? Ah, devo estar mesmo, eu falo demais quando fico nervosa, mas não adianta, agora que comecei vou falar tudo, não paro por nada[silêncio] … [silêncio] … [silêncio]. Tá, por um beijo desses eu paro de falar sempre que você quiser.

7 comentários em “Eu morreria mil vezes de amor por você

  1. Sabe querida Carina, me lembrei da canção “A história de Lyli Braun” de Chico Buarque e EduLobo, a canção é a narrativa de um sonho de uma moça idealizava seu romance, bem como disse Marx “o maior mal do homem é idealizar porque quase sempre se frustra ao não alcança-lo”, mas a moça sonhava com um romance perfeito, daquele que se via nos livros e quando pode vive-lo não era da forma que imaginava e vil que era muito mais feliz quando sonhava do que vivia

    Aqui tem a canção e a história também

    http://cloneseoriginais.blogspot.com.br/2012/05/historia-de-lyli-braun-chico-buarque-e.html

  2. Carina!

    Que delícia de ritmo de texto!

    Bem diferente do seu ritmo habitual, ao qual eu tanto gosto…e igualmente maravilhoso!

    Uma pitada de humor enquanto tapas de luvas de pelica nos acometem.

    Destaque:

    “E que quando te vejo meu coração bate tão alto que tenho medo de que você escute. A cada vez que me despeço de você estou exausta de tanto esforço que faço para respirar normalmente ao seu lado. “

  3. “Você já reparou quanta gente morta vive por aí? ” Reparei e julguei algumas vezes moça. De vez em quando gostamos de falar mal do que nos causa medo, não? Estar totalmente acostumado ao outro!? Ai.

    “E que quando te vejo meu coração bate tão alto que tenho medo de que você escute. A cada vez que me despeço de você estou exausta de tanto esforço que faço para respirar normalmente ao seu lado. “

    Viver, sentir, não sentir: impossível fugir do medo. Que ele não nos faça travar, então.

    Gostei de ler a senhorita assim “dançando um novo ritmo”. Que gostoso.

    Um beijo Carina

Os comentários estão fechados.