imagina um grande páramo e nele abrigado um campo santo. agora perceba que ali já houve esperanças e sonhos, vontades múltiplas, multifacetadas possibilidades. sinta o arrepio que perpassa pelo corpo a eriçar pelos e memória. mas considere também que ali passaram quereres a sabotar desejos, vaidades a rivalizar vivências, ambições a parir ganâncias. (as vozes fazem a ronda por dentro, patrulha feroz que nos alicia e envenena, armadilhas que nos sofremos… porém, um dia, elas se calam.

observas, ainda sem saber, que por trás daquela névoa há uma simétrica construção de lápides. agora já o sabes, pois alguém teve a bondade de explicar o que era aquele borrão. mas mesmo assim desconfias, algo está errado.
neste lapso, outras cenas foram chocando-se com a tua falta de crença: um menino brinca com uma menina sob a sombra de uma frondosa árvore. uma música cheia de coloridos instrumentais é tocada, para em seguida veres os dois de mãos dadas… um beijo… muitos beijos… sorrisos… gargalhadas… uma cama com os lençóis amassados… um recado no espelho do banheiro… rosas sobre o travesseiro… uma aliança… uma festa… filhos… e o que era a cores vai esmaecendo para o cinza… quadros rápidos e muito velozes e fugacidade espantosa… até que sobre o último quadro, fundo negro, uma frase em letras brancas explode na tela:
o amor não é deste tempo
e abaixo:
em breve.
alguém pigarreia, uns se mexem nas poltronas, risos nervosos, um diz que absurdo quanta demora, outros tantos indiferentes.

9 comentários em “imagina um grande páramo e nele abrigado um campo santo. agora perceba que ali já houve esperanças e sonhos, vontades múltiplas, multifacetadas possibilidades. sinta o arrepio que perpassa pelo corpo a eriçar pelos e memória. mas considere também que ali passaram quereres a sabotar desejos, vaidades a rivalizar vivências, ambições a parir ganâncias. (as vozes fazem a ronda por dentro, patrulha feroz que nos alicia e envenena, armadilhas que nos sofremos… porém, um dia, elas se calam.

  1. Quem mandou acender a luz ???? Que raiva isso me dá, tava tão bom… E agora ??? Como é que eu fico??? Vou ter que procurar outros textos, outros filmes, outros leres……

  2. Sempre saio daqui como quem vislumbra um “constante” devir.

    Ler você é uma experiência singular.

  3. Denison, já não tenho mais palavras pra dizer como gosto dos seus textos. E nas últimas semanas eles andam ainda mais brilhantes do que o “normal”.

    Amei.

  4. “Eis o cineasta com sua grua sobre um cume a imaginar perdas dolorosas: o passamento da infância, o laço de um casamento desfeito, o ponto final do romanesco e da inocência.

    Nas cenas que o diretor nos mostra, vê-se que, por trás de uma névoa, houve esperanças e sonhos de um menino que brinca com uma menina sob a sombra de uma frondosa árvore. Ouve-se uma música cheia de coloridos.

    Depois, muitos beijos… sorrisos… gargalhadas… vontades múltiplas, multifacetadas possibilidades, quereres a sabotar desejos numa cama com os lençóis amassados…

    Um travelling da câmera nos leva para ver vaidades a rivalizar vivências em um recado no espelho do banheiro. Uma aliança… Ambições a parir ganâncias.

    Corte para close-up: o arrepio que perpassa pelo corpo a eriçar pelos e memória. Uma festa… filhos…

    Até que sobre o último quadro, fundo negro, as vozes fazem a ronda por dentro. E uma frase em letras brancas explode na tela:

    Filme dirigido por Denison Mendes.”

    Bela obra, meu caro. Parabés!

  5. tomando um café com woody allen ainda agora comentei sobre teu roteiro, ele sorriu, pigarreou, tomou mais um gole do seu espresso e me disse “amar sempre está no contratempo do compasso, o amor jamais terá tempo certo”, e ficou olhando para o nada com cara de paspalho. eu anotei a citação em meu caderninho, comi o biscoitinho e fiz-lhe companhia na contemplação do horizonte. você é genial.

    abraços, mestre
    @paraquenomes

  6. E então, lendo esse texto fui parar numa sala de cinema. Me imaginei inquieta, com um saco de pipoca numa mão e um copo de coca-cola na outra. Me imaginei dizendo: “Parece que esse filme será lindo”… E foi.
    Um salva de palmas a você. Digno de admiração.

Os comentários estão fechados.