amar cioso

para joyce

amar é jangada doida
à deriva busca
marmuriando
então doída
o sentido da onda
ama
baixinho
sem a aflição do grito
com vagar
sem pressa
de longe
com doçura
de perto
cada instante
nunca com armadura
olhar maduro sempre
arco-irisando verdes anos
com cor
tom
canção
ama
com corduras
mesmo que sejam duras as penas
na ausência
saudade que ecoa
voa na lembrança
com asas que se abraçam
ama
manias
maneiras
e sem medidas
não o que se cria
mas o que se é
com graça
sem sustos
com a surpresa do sorriso
com festa folia e fuzarca
ama
com cautela para não assustar
sem farsa para não ferir
com a força de quem sublima
ama
na carência
com carícias
na tempestade
com retiros
ama
com palavras e silêncios
e seu amor será sentido
na imensidão zelosa das vigílias

5 comentários em “amar cioso

  1. Não canso de me surpreender com a sua escrita metonímica-fantástica, Denison!
    Vim ler o texto aqui, super corrida, e até me acalmei.
    Letras em tom de canção, que lindeza.

Os comentários estão fechados.