Busca-me

Eu não te procurava. 
De fato, não procurava ninguém. 
Ainda que a solidão não fosse uma boa companheira, 
ela era minha. 
No início te vi sim, como um precipício. 
Tive a vontade que todos sentem. Gritar
Pelo simples desejo de me ouvir.
Quando fiz isso, surpreendentemente você respondeu.
Ontem a noite, já era tarde. 
E a vontade acabou me trazendo até ti novamente.
Recebi tua resposta fria. 
Como barco sem rumo,
Cavalo sem sela dramaticamente morri a flor da pele.
Você me tornava invisível.
Amanhã a noite, chego mais cedo.
Pois assim você pediu. E quem sou eu para negar.
Digo sempre a verdade, nossa sinceridade salta aos olhos.
Se Drummond nos permite, fique atenta: o amor não apenas bate na porta,
ele rebate, faz cócega, e repousa na aorta.

7 comentários em “Busca-me

  1. Esse poema é um convite a releitura, e eu não pude negar.

    Penso que é preciso muita coragem para responder ao que é precipício. Abandonar as celas e sentir o vento dele batendo no rosto é coisa perigosa e gostosa. Que ele não engula quem se atreve, ou melhor, que não deixe de engolir. Pior mesmo é nossa solidão/receios ser abismo.

    Bjo

  2. ninguém morre de amor nessa vida. vive-se. com ou sem gritos, com ou sem invisibilidades, com ou sem flor na pele.

    poetizou bem a letra 😉

    abs,
    @paraquenomes

  3. Às vezes é bom morrer à flor da pele, dá pra renascer com ela mais calma, sem o “fogo do juízo final” (era Engenheiros, mas tu logo puxou um Baleiro também, né?). E Drummond já sabia bem que, se o amor “desenha uma curva / propõe uma geometria”, é porque ele sabe resistir aos abismos. É só deixar o corpo cair que todo precipício é, no fundo, um princípio também. 🙂

  4. A solidão é companheira fiel!

    Os amantes dignos sabem disso.

    Os escritores também.

    Que beleza de texto, Cláudio!

  5. Já te disse o quanto gostei desse texto, né, Cláudio? Lindo, sensível, real. Como é bom gritar ao precipício e ouvir algo além do eco como resposta.
    Lindo.

  6. Se até beijo de novela me faz chorar, imagina ao ler este poema!!! Muito lindo…..

Os comentários estão fechados.