desalegria do porto

os atropelos pelos átrios
rios

os caminhos
ninhos sem direção
rumos à deriva sorte
morte sonâmbula a navegar solerte
ler-te
aquela carta
não escrita ainda
vinda vem
em alma saudosa
compungida
a purgar
a lembrança da partida
quero que não vá
mas é vão
pois já é veio
o que me virá

3 comentários em “desalegria do porto

  1. mas e o que te veio não é velho, é a novidade que pode se chamar qualquer coisa, até mesmo amor.

    abraços, irmão e mestre
    tantas saudades de ti
    @paraquenomes

  2. Denison,
    acho impressionante como todas as vezes em que te leio tenho a sensação de estar lendo algo surpreendente, mas, ao mesmo tempo, tão familiar, e tão você.
    Teu estilo me encanta, sempre e a cada vez.

  3. Poxa, Denison,
    as sensações físicas sempre me são estranhas quando leio as suas palavras.
    Não dá pra ler com a razão.
    Morri na morte sonâmbula que ainda não foi escrita.

Os comentários estão fechados.