….

Tentei fazer da minha vida um samba.

A cada compasso voce atravessava

Eu achava lindo, embora dissonante

A percussão estava ritmada,

As passistas estonteantes.

Nosso abre-alas chamou atenção,

Todos ovacionaram o mestre-sala

Voce de porta-bandeira, irradiava beleza.

Aplaudi dos camarotes. Foi o trabalho de um ano inteiro.

O publico entoava nosso samba-enredo.

O que podia estar melhor?

Faltava algo. Nosso titulo.

Que falta faz um titulo…

5 comentários em “….

  1. Nomear as coisas e sobretudo as relações, nunca foi o mais importante. Elas são o que são, ponto.

    Ah, mas não vamos negar o quanto é gostoso dizer/ouvir/ entender/ sentir certas palavras, assim, tudo junto, assim quase de mãos dadas.

    Bjo Cláudio

  2. As vezes aquilo que não teve nome foi tão mais importante e marcante do que as tantas outras coisas devidamente nomeadas…
    Mas não posso deixar de reconhecer que a falta de “título” gera uma certa angústia mesmo.

Os comentários estão fechados.