Saber estar junto sem saber

Não sei de onde você tirou isso que seu problema é não saber amar. Ah, de uma música? Da trilha sonora de um filme? E você rapidamente pegou a primeira desculpa que encontrou pra justificar sua falta de vontade, entendi.  É falta de vontade sim, não falta de saber. Amar não tem nada a ver com sabedoria. No máximo, é preciso saber que não se sabe nada, que não controlamos o amor do mesmo jeito que não controlamos a vida. Amor não é filme, nem música, nem sonho. Claro que ele se beneficia de um exagero aqui, uma ilusão ali, uma invenção acolá, afinal a fantasia é o filtro pelo qual vemos o mundo. Mas de nada adianta criar castelos em sonhos, ou mesmo aprender a construí-los na realidade, se você não tiver disposição para inventar uma nova solução quando ele desmoronar. Porque ele vai desmoronar. É assim o amor, feito para cair e nos derrubar de vez em quando, pra testar não o que sabemos ou aprendemos, mas o quanto queremos, desejamos, acreditamos. Se amor tivesse a ver com sabedoria, os poetas teriam vidas amorosas perfeitas, assim como os letristas, compositores, roteiristas de filmes românticos… Mas não é isso que acontece, né? Viver e amar exigem uma única sabedoria, a mais difícil para neuróticos como nós: saber que o saber não nos torna onipotentes. Que saber como agir não é a mesma coisa que agir. Que entender o que motiva o outro não nos imuniza em relação às suas ações. Amar é saber estar junto sem saber. Não, não estou admitindo que você tinha razão, porque esse saber que o amor não pode prescindir é justamente prescindir do saber. É perder-se de si para encontrar o outro, não para se encontrar nele, mas para encontrar o outro em nós. Bom, talvez, considerando que isso é um tipo de saber, você tenha razão em dizer que não saber amar é um problema. Mas também pode ser que eu só esteja dizendo isso porque te amo, e porque abandono todos os meus saberes quando estou com você.

7 comentários em “Saber estar junto sem saber

  1. A questão é querer e não saber, concordo.

    Nenhum sentimento, sobretudo o amor, tem razão de existir ou continuar existindo, se não tiver quatro mãos lutando por ele. De vez em quando, tudo desmorona mesmo. Basta saber se estamos dispostos a reconstruí-lo, assim, todo dia.

    Um beijo Ca

  2. Nossa, tipo que amei… “É perder-se de si para encontrar o outro, não para se encontrar nele, mas para encontrar o outro em nós.”; “Amar é saber estar junto sem saber.”.

    E outros trechos, muito bom. Lindo.

  3. “… porque abandono todos os meus saberes quando estou com você.”

    Acho que ficará clichê se eu sempre me identificar com os teus textos, mas enfim, é isso que acontece. Eu vejo um pouco de mim as vezes em sutis trechos e me encanta aina mais a leitura. Continue a escrever que continuarei aqui esperando para me encontrar neles. (:
    Um beijo

  4. “É perder-se de si para encontrar o outro, não para se encontrar nele, mas para encontrar o outro em nós.”

    Saber amar é saber que o saber não sabe amar, mas que a gente sabe amar sem saber amar…rs

    Carina, muito alma irmã, viu.

Os comentários estão fechados.