Gosto, e isso é muito

Gata, eu tento ser legal. Me esforço, penso antes de falar e às vezes não te ligo que é pra não criar ilusões. Gosto de você, e ainda que você pense que gostar é pouco, saiba que pra mim isso é muito. Odeio a maior parte da humanidade. Não sinto dó de mendigos, fico com raiva das grávidas pedintes, não sinto a menor lamúria pelos usuários de crack e a maior parte da população feminina me irrita muito quando está falando. Você sabe que eu sou muito hétero, embora respeite os homossexuais, bissexuais ou seja lá qual for a opção sexual da pessoa. Respeito as mulheres também, mas essa história de TPM, excesso de sentimentalismo e essa falta de lógica feminina me incomoda. Gosto de entender as coisas, tudo deve ter um sentido, a engenharia me diz isso todos os dias e é por isso que a escolhi para viver comigo. Mas as mulheres só sabem me puxar o tapete quando acho que tô entendendo, ou falar com suas vozes estridentes nos meus ouvidos, coisas que eu não sei e não sei por que elas acham que eu deveria saber. Me irritam. Só que com você é um pouco diferente, gata. Não, eu acho que isso não é amor, amor eu sinto pelo meu cachorro, que me recebe com festa em casa todos os dias, independente do que eu fizer, não me pede nada, não me cobra nada, nem acha que eu deveria saber coisas que eu não sei; então também não peço nada a ele, a não ser que continue sendo quem ele é, e olha, isso é amor. Amor eu sinto pela engenharia, que me dá os números que eu peço e cumpre com aquilo que se compromete. Com você a coisa é bem diferente, eu gosto do seu cheiro e a sua voz não me irrita na maior parte do tempo. Não me importa que você cozinhe mal e gosto dos seus pés. (Sei que uma mulher me interessa quando não são os seus seios ou a sua bunda o que mais me interessam no corpo dela). Mas é só – e acredite, isso é coisa pra cacete. Não exija muito mais de mim, que tô mais interessado em trabalhar, ganhar dinheiro, conhecer o mundo do que nessas questões de amor. Sério, to nem aí pra essas coisas de amor que você acha que eu ligaria se te amasse. Só quero saber se você quer estar comigo, porque eu quero estar com você. Foda-se como se chama isso.
_

Cara, você não precisa me amar, apenas diga que me ama e não me deixe saber disso.

4 comentários em “Gosto, e isso é muito

  1. Porra, é muita coisa mesmo. Pra que nomear as coisas? Faz diferença? Não importa a resposta, porque nós mulheres sempre queremos AMOR assim em letras maiúsculas, e de preferência sem os malditos silêncios.

    Um beijo, Ana.

  2. Uma pergunta que certa vez chegou até mim: O que nós somos? Amigos ou namorados? Foi foda, usei Quintana pra responder “Para que nomes? Era azul e voava”. Acho que teu texto diz muito sobre os estereótipos, e o que seria a vida sem eles? Sem os clichês? Muito mais sem graça, porque as surpresas perderiam o brilho.

    beijo, confreira
    @paraquenomes

  3. “Só quero saber se você quer estar comigo, porque eu quero estar com você. Foda-se como se chama isso.”
    E eu que sempre tive dificuldade em nomear as coisas, me pego pensando em como apenas “estar junto”, incrívelmente, algumas vezes basta.

  4. “Tudo porque quiseram ser, eles que eram”.

    Não adianta pedir aquilo que só tem valor quando ofertado. Será que um dia aprenderemos isso?

    Adorei, amiga.

Os comentários estão fechados.