Houve um tempo

Houve um tempo em que pensava que o mundo era meu, e isso era normal. Que tudo o que eu desejasse o mundo iria retribuir. Que se eu desejasse, o universo ia me proporcionar.

Queria a melhor comida, a mais saborosa. Queria o ar mais límpido e mais puro pra poder respirar. Queria os melhores amigos. Queria a melhor mulher. O melhor relacionamento. A melhor transa.

Alma boba. Desejava um mundo justo com os meus desejos.

Passei muito tempo desejando que fosse assim. Minha alma se iludiu por muito querendo que meu desejo fosse uma ordem.

O tempo, ou a experiência, me mostrou que a vida é cruel. Não nos dá o que desejamos, mas sim somente o que ela é: fria.

Ela não dá a melhor comida, mas só o suficiente pra permanecer em pé. O ar é o mesmo para todos. O mundo respira a mesma coisa. Os amigos se vão quando menos esperamos. As mulheres são diferentes, por serem sempre as mesmas e os relacionamentos são como o sexo, raros na plenitude.

Muito tempo se passou para eu perceber que o meu tempo aqui não está condicionado aos meus desejos, mas sim aos mandos da vida, mesmo ela sendo tão sacana.

Ainda assim, essa sacanagem é o que ainda impera. É o desejo que a vida normal ainda me esqueça por um tempo e deixe que a minha vontade seja realizada. Paciência para continuar a ter forças, mesmo com medo de abrir os olhos. Ver que não tenho mais os dezoito anos de ilusão e sim que já passei dos trinta de realidade.



Barão– Convidado da semana

2 comentários em “Houve um tempo

  1. Costumamos achar muitas coisas , mas a vida nos ensina e desmancha nossos sonhos .

    “Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão” …

    gostei do blog , estou seguindo .

    aninhasouto.blogspot.com

Os comentários estão fechados.