A Dieta do Beija-Flor

INTRODUÇÃO

Cada vez menos rima, pra quebrar o critério.
Jaz tão triste a canção, para quê ficar sério?
Essa história é de amor, não façamos mistério.
Por trás dessa porta há bem mais que adultério.

CAPÍTULO 1 – O SAUDOSO (DE)LEITE DO NÉCTAR

Assim que você abriu a porta eu sabia que havia acabado;
E o que mais dói foi a forma como você reagiu.
Toda a formalidade, a falsa educação…
Tudo para terminar em amizade, o pseudo perdão.

Agora estou deitado com outra, tipo você.
Mas nós não dançamos, o ritmo é outro.
Procurei essa mulher para ouvir o nosso som.
Mas ele não toca, o amor não foi bom.

Sinto falta dos bailes na sua casa.
Do tango de língua e orelha, fria e suada.
Do seu corpo quente, do olhar decadente…
Saudade de ver roupa de cama usada.

CAPÍTULO 2 – O COLÍRIO DO COLIBRI

Você é minha vida, meu tipo, meu vício;
Dividimos segredos, nos amamos por anos!
Mais do que isso, seu desejo era o o meu:
O reflexo do amante no ouro que outro te deu.

Sei que você ainda fecha os olhos quando deita com ele
Só para imaginar que está comigo
Sei que morde os lábios e segura as lágrimas
E que também goza com nossas lembranças.

Minha amante secreta: Beija-Flor.
Era assim que eu te chamava.
Para te preservar, para te esconder…
Para ele nunca desconfiar de nós.

E se as pétalas caem, o segredo é um só:
No meu corpo um anseio, na garganta um nó…
Que estando com ele, você era minha,
Que enquanto houver ele, eu serei sempre seu.


NOTA DO AUTOR: Colibri é um tipo de beija-flor e, ao contrário do
que se acredita, ele alimenta-se principalmente de minúsculos insetos
presentes nos cálices das flores; Embora o néctar faça parte de sua
dieta, se o beija-flor alimentar-se exclusivamente dele, sucumbirá
irremediavelmente.

11 comentários em “A Dieta do Beija-Flor

  1. Eu tenho essa mania de ler e me colocar no lugar do autor, e ver como ele vê. Esse eu gostei do que vi, muito caliente o texto! 😀

  2. Nina, acho que mais difícil do que escrever é colocarmo-nos nos calçados do próximo; Penso que, pela proposta da Confraria, é difícil escrever sem interpretar o próprio intérprete e, assim, a idéia me parece ser justamente essa, olhar pelos olhos do outro.
    Você gostou do que viu? Com seu comentário eu também gostei.

  3. Os escritos dos convidados estão de altíssimo nível, uma surpresa melhor que a outra.

    Muito interessante o formato e o “som” do texto. Li em um gole só.

    =)

  4. Apaixonada por poesia que sou tenho que dizer que dos textos dessa semana esse foi o que mais me conquistou. Escreve muito bem !

  5. Mand e Ana, muito obrigado pelas palavras!
    Me senti muito bem acolhido por todos daqui: leitores e idealizadores.
    Feliz e honrado por ter tido a chance de produzir algo para vocês.

  6. Parabens belo texto que faz a gente passear nas “cenas”… fiquei imaginando o aroma da historia….. para mim foi uma mistura de madeiras nobres com um pouco de canela e flores….abracos!

  7. “O reflexo do amante no ouro que outro te deu.”

    Sou amante de alguma poesia, mais que tudo, amante de textos construídos com imagens e esse texto…nossa… Que doçura de palavra, que dança interessante e que amor envolvente.

    Viajei nessas letras e me apaixonei pelo amante e pela amada, ao fechar de olhos, a gente quase pode tocar o sentimento. Mudou a respiração do dia.

    Obrigada por escrever tão lindamente e partilhar suas letras conosco.

  8. Cinthia! Que bom vê-la por aqui!
    Por me conhecer há tempos e saber da minha fixação por baunilha, você me deixou espantado com a sua intuição!
    De fato, todo meu trabalho analítico é inspirado em aromas madeirados, canela e florais; o meu logotipo comercial não só é uma árvore, mas traz a textura da madeira, a jardinagem faz parte da minha rotina e eu não passo um dia sem tomar um chá de cravo e canela. Quando escrevi o texto, eu realmente havia me sentado ao lado da minha dama da noite (e era noite, afinal, nada melhor do que a noite para escrever fantasias), com uma xícara de chá de limão, cravo e canela (que como eu disse, me inspiram).

    Para quem não conhece o maravilhoso trabalho da Cinthia, recomendo que visitem: http://www.phedras.com.br

    Como não nos vemos há tempos, domingo que vem vou te dar um abraço aí, Cinthia!

  9. Cláudia, obrigado pelas palavras, na verdade, acho que “mudou a respiração do dia” foi um dos maiores elogios que já recebi e, não sei MESMO com quais palavras respondê-la;

    Acho que, o que posso dizer então, é que você deixou o escritor sem palavras, rs.

    Agradeço o gesto e, passarei para conhecer seu trabalho também!

Os comentários estão fechados.