Das saudades

Tem o pranto
O lamento na tertúlia…
A viola no ombro
Aquela saudade de ainda ontem.
Tem a súbita vontade de correr
Gaitear na terra de onde não sei,
Na sinfonia do trote…
Sem esmorecer.
Tem a mateada no campo
a boleadeira e o laço
Esverdeando o dia…
No minuano, meu pago.

2 comentários em “Das saudades

  1. Letícia,
    teu texto me deu saudade do Sul, do chimarrão, da minha infância. Uma saudade boa, que mais do que doer nos deixa felizes pelo que pudemos viver.

    Adorei, seja sempre bem vinda por aqui.
    🙂

Os comentários estão fechados.