ainda não é o amor

a paciência é a gazua do amor.
machado de assis
eu não vou negar que adoraria escrever um conto de amor. uma crônica cheia de clichês bonitinhos. celebrar nosso amor e dizer que sou louco por você. mas o meu conto de fadas, a minha fantasia, estão perdidos. o que deveria ser motivo de desespero e angústia para um romântico convicto e visceral, só que muito mais que isso, hoje é motivo de paz. dizem que a vida alterna entre a ordem e caos, nunca de maneira linear, e aqui fico com a analogia da montanha russa, lembrando que jamais entramos na mesma montanha russa duas vezes. sem você tudo é saudade, ainda mais porque não sei quem é você. sei apenas quem você não é. um grande avanço. e o quanto demorei pra chegar até aqui. tantos desencontros, tanta decepção. magoando e sendo magoado. ilusões múltiplas. querendo acertar, errando muito, às vezes até sendo meio inconsequente. nunca usando de má fé. eu creio no amor. mas deixei de acreditar nas migalhas que ele oferece. não quero mais ninguém em pedaços. parei de idealizar. quero viver. de maneira alucinada, passional. eu quero. sentir o coração sangrando, depois de levar um tiro certo. batendo acelerado. mas por ora o meu está na dele, quietinho, no compasso normal, fora da zona alvo. não há taquicardia. apenas esperança.

não sou fácil de se entender.

mas alguém há de tentar. que venham as tentações.



4 comentários em “ainda não é o amor

  1. Ia começar o comentário dizendo o quanto eu gostei das últimas três frases, mas báh, seria uma mentira: Amei foi todo o texto, rs. Ah André, você e esse jeito de escrita *-*
    Um abraço e minha admiração.

  2. Seriam o resto do amor essas migalhas?
    Seria o amor um belo pão?
    Ou será que o amor não passa mesmo de algumas migalhas, e por isso precisamos de tanto pra nos satisfazer?
    Como é difícil sair do campo da idealização!

  3. Amor, depois dos primeiros, parece uma espécie de utopia inalcançável.Penso (e sinto) amor como momentos permitidos, paixões avassaladoras independente do tempo que durem, bons e deliciosos encontros. Penso que o amor ficou efêmero em mim e isso se aprofunda cada vez que te leio.

    Admiradora confessa da sua escrita.

Os comentários estão fechados.