Anos-luz

O tempo passou.
Mais dia, menos dia, passou.
Mais céu, menos céu, passou.

E pode passar o tempo que for, aquela constelação no céu,
Aquelas estrelas luzindo a noite já não mais bonita,
já não mais inspiradora,
já não mais impactante,
já não mais imponente como antes,

Aquelas estrelas morreram há milênios.

Mas permanecem no céu,
agora apenas manchas que enfraquecem a cada dia,
e que enfraquecem a cada céu,
e que – como eu – enfraquecem a cada novo olhar,
a cada passo,
a cada vida,
a cada você.

O tempo passou.
Mais vida, menos vida, passou.
As manchas vermelhas na areia, como pegadas.

Os pés sangrando o que o coração já não mais.

 

—–

 

Olá.
 
Meu nome é Ricardo Alves, e tive a honra de ser chamado pelos amigos confrades para integrar essa página tão especial. Já havia escrito como convidado anteriormente, e tive uma canção minha contemplada pelo blog na semana passada.
 
Agradeço aos agora colegas pelo convite, e, desde já, a todos vocês pela atenção.
 
Até quinta que vem.

6 comentários em “Anos-luz

  1. espero que o tempo aqui não passe tão rápido, que seja uma longa parceria. seja bem-vindo, e parabéns pelo poema.

    abraços, novo confrade
    @paraquenomes

  2. Que notícia maravilhosa você integrando a Confraria. Animada com a oportunidade de ler seus textos toda semana. Esse é um tempo que chegou e que eu espero perdure bastante.

    Terminei de ler e fiquei aqui pensando que nem sempre as pernas acompanham os sentimentos. O que poder ser muito negativo ou também positivo. Que consigamos seguir, seja como for.

    Beijo Ricardo e aos outros confrades também.

  3. Sou fã da Confraria e das pessoas que aqui escrevem. Sou fã dos tweets seus, rs. Ter você escrevendo/poetizando aqui Ricardo, é muito bom. Parabéns pelo poema-estréia. Seja bem-vindo.

  4. Ricardo, fico muito feliz de poder vir te dar as boas vindas aqui na Confraria. Já começou com um belíssimo poema, e tenho certeza que ainda vamos ler muita coisa boa sua por aqui.
    Sinta-se em casa. 🙂

Os comentários estão fechados.