Sem tratamento

Pois eu vou negar.

 

Louco? Louco é quem não sabe o que é se entregar desse jeito.

Maluco é quem se conforma em não ter seu rosto à vista todos os dias.

Alucinado é quem nunca se dedicou a escrever as rimas mais batidas, os versos mais óbvios, os poemas mais cheios de clichê.

Eu não sou louco. Dá pra perceber pela minha alma. Você consegue vê-la? 

 

Não? Não mesmo?

 

Exatamente.

O que eu sou por você é até bem normal, e não precisa de diagnóstico. Existe no Universo desde que pares de quaisquer coisas se encontraram pela primeira vez. Dizem que está em falta no mundo real, mas eu prefiro viver em um conto de fadas do que me submeter a tratamento. Às vezes bate aquela dorzinha de cabeça, às vezes uma amnésia temporária, às vezes a alma transparece, mas não importa.

Louco é quem se importa com os efeitos colaterais do amor.

3 comentários em “Sem tratamento

  1. Fiquei hipnotizada com “prefiro viver em um conto de fadas do que me submeter a tratamento.”

    Lindíssimo, Ricardo!

  2. Muito obrigado, moça! Dei sorte de a música, por mais clichê que seja, já ter se relacionado com certos momentos de transparência da alma =]

Os comentários estão fechados.