(tr)avessos

era noite sem vento e eu nem cri na minha sorte.
caetano veloso

prólogo

adoro esse jeito seu.

*

uma cerveja. duas. eu já não contava mais. o papo entrecortado. entre um samba e outro, espontâneos sorrisos. onde eu estava. por onde você andou. saúde, lapa, gamboa. será que um dia seremos mais que juramento. não sei o que espero. só sei o que quero. nossas vozes que se misturam. o refrão me diz pra ser feliz. mas cadê felicidade. se é feitiço, vou jogar flores no mar. almir guineto me dando um papo. tudo no começo. penso nessa vida de tantos começos, mas ainda sem um fim. até onde você está afim. beijar tua boca, te levar pra cama. será que você. não ouso fazer a pergunta. pode parar com essa ideia de representação. a letra que não sai da minha cabeça. 

rouco pelo que não falei.

louco, pois bem que nem sei.

sem mais perguntas, sem outras rimas. sem certo ou errado. sem ser. será.

*

epílogo

o movimento das marés. ventos que me trazem teus olores. imagens, mensagens, viagens. um sonho de muitos sabores. aquela pergunta que ficou sem resposta.



3 comentários em “(tr)avessos

  1. “será que um dia seremos mais que juramento.” Uau!
    Aproveito e… parabéns pelo seu dia.
    Salve, salve os escritores que nos salvam, Sal!

Os comentários estão fechados.