Fauvista

Comigo é tiro, porrada e bomba. Chego chegando, dou as cartas todos os dias. Em tempos de guerra e paz, determino começos e fins. Os meios servem para pulsar os fluidos que me carregam em você. Ou que me expulsam quando escarra, menarca e goza pela primeira vez. Desboto em morte e cicatrizes.

Embarco nos sonhos e promessas da língua que retira manchas no canto da boca após a taça sorvida. Do batom sobre a pele branca, combinando com o salto, os batimentos da excitação da cor do esmalte Mulher Maravilha, nova coleção. Da gira da sexta, na encruza, com a rosa atrás da orelha. Sapato boneca verniz combinando com a lancheira da ida matinal à escola.

No fundo sou venerada, relevo os meus amantes secretos escrotos me chamarem de puta. Sou matriz, não há como fechar os olhos para a realidade de que natureza, vida e mundo orbitam ao meu redor. Da cor de Cristo e das carnificinas da História. Dos que deliram carnavais e se protegem nos 23 de abril com o manto de tom inconfundível.

Das entradas de centros de lazer aos tapetes de première, putas assumidas e enrustidas já se confrontaram com o divisor momento de me assumirem em peles e alma. Putos e enrustidos preferem os tons do xadrez flanelado da camisa de manga cumprida. No fundo sou direita, comunistas não me representam. Espanto, eles se repetem, não vim a passeio, rubra, vinho, magenta, vermelha em febre. Elemental da natureza fogo, primeira cor percebida por humanos, convido chifradas e costelas expostas de toureiros. Olé… Olé… Dou baile, se você quiser.

 

Renata Frade

Renata Frade é pedra, flor e espinho. Empreendedora editorial, jornalista, sócia-fundadora da Punch!, escritora, pertence à confraria literária “Os Quinze”. Autora da “Antologia Patuscada” (Editora Patuá) e de “Contágios” (organizada pelo jornalista José Castello, Oito e Meio). Organizadora e co-autora de “O Livro Delas”, lançado pela Rocco, uma das plataformas de LitGirlsBr, primeiro projeto multiplataforma transmídia de literatura nacional para jovens no país criado pela Punch!. Reúne contos e poesias no blog Pessoa Física: https://pessoafisica.wordpress.com/


Desafio da Semana:

24/07 - Viva cor!

Um comentário em “Fauvista

  1. Comentei lá no face, mas repito aqui:
    Adorei sua pomba-gira cigana mulher. Acho que ser chamada de puta é inevitável quando se é mulher, né? O que pra eles é fraqueza para nós é força. Linda cor, lindo texto.

Deixe uma resposta