vale sorriso

ainda lembro quando você chegou.
triste.
esquecendo o resto do pouco que ainda existia
do lado de fora do quarto.
na penumbra,
chorou.
eu chorava junto.
em outro quarto,
uma outra dor.
sua dor.
dor que corta a alma
minha e sua.
um sorriso!, pensei.
corri até o quarto,
desenhei o que sempre te alegra
e lá coloquei.
bem ao seu lado.
agora estou aqui,
às quinze horas,
assentada
junto à mesa
esperando ver seu sorriso
novamente
junto
a
mim…

 


Desafio da Semana:

3/07 - Um bilhete debaixo do travesseiro – a perspectiva de quem escreveu o bilhete

 

Deixe uma resposta