que coisa!

– que coisa!

foi o que saiu da boca dele ao ver ana passar num modelito nada nada convencional. ela escutou o som da voz, virou-se, olhou firmemente nos seus olhos e sorriu agradecendo o “elogio”. assim que seus olhares se cruzaram e o sorriso dela ficou impresso em suas retinas, ele soube que aquele era o momento que tanta esperava. hoje quando ela volta a utilizar o mesmo modelito, nada nada convencional, luiz suspira e sussurra como se estivesse solto no céu:

– que coisa!

 


Desafio da Semana:

7/08 - O que não era para ser, mas foi

Deixe uma resposta