não é não

todo esse mar.
horizonte sem fim.
dói-me as vistas,
dói tanto quanto…
você já sabe.
não! novamente não.
eu já te disse em
outra o-ca-si-ão!
lembra-te?
lembra-me?
lembra…
eu sei,
de tolo você se faz sempre.
desde a mordida no falo.
o rasgo na garganta.
a voz que gritava:
“depois do não, todo o resto é assédio.”
e você sorria,
ao ver a voz grossa
suplicando o respeito
que pra você não era necessário.
portanto, minha cara,
veste-se do pouco pudor
que ainda há nesse quarto
e suma! com você,
leve a falta de respeito que
me destes de presente,
pois não, é não.
pra gente,
pra bicho,
pra tudo!

 


Desafio da Semana:

23/04 - Depois dos nãos

Deixe uma resposta