tsunami, você!

tudo era perfeito.
meus livros, discos e coisas.
tudo em seu devido e sagrado lugar.
um leve tremor.
numa manhã de agosto.
senti, com exatidão, que a vida iria mudar.
e você aparece!
naquela noite.
ao te avistar, não pensei em momento algum correr.
era o que sempre pedi.
um banho de alma para lavar a alma.
vi a onda chegar. as pessoas corriam.
e eu?
eu fiquei ali. de sorriso aberto ao te ver chegar.
abracei a bênção.
um tsunami de alma e corpo.
na primeira noite, aquela revolução.
confusões no meu 2×2.
mãos, pés, lábios, seios, gozo, sexo…
em pouco tempo, a calmaria.
como a onda que passa e vem recolhendo o estrago.
“a paz invadiu o meu coração”.
reconstrui novamente os lugares,
as coisas,
e a vida com você…


Desafio da Semana:

9/04 - Vidas em fúria