desculpe o transtorno, estamos em reforma. sempre!

da rua linda,
só resta-me
lembranças.
e nem essas
salvam-me.
trevas,
tre-vas,
te vás.
cafés malditos,
benditas fugas
de alma
e corpo.
da rua mais linda,
hoje,
nem o endereço
espero,
quero,
é vero!
sumo nos detalhes
do seu sorriso
forçado,
treinado,
montado!
diante do espelho,
de águas turvas,
você treinava.
ai de ti, copacabana,
que abrigou-me,
mais de
três
vezes,
nessa rua
que de linda,
sei lá se
já foi,
transformou-se
em
maldição,
prisão,
o cão.


Desafio da Semana:

13/08 - Se essa rua fosse minha…

Deixe uma resposta