Florescer

Eu olhava a porta do banheiro

As plantas em volta

Cada brotinho que crescia

Eu já via de um novo jeito.

Olhava o chão

Que escorregava quando tava molhado

E agora já parecia perigoso.

Olhava o móvel baixo

Minhas maquiagens espalhadas

A tesourinha na beirada

O box que André tinha escolhido

Ia ficar apertado

E o banheiro alagado

(sorriso).

Meu rosto já estava alagado

Inundado de amor e medo

Amor profundo por mim mesma

Me abracei

Abracei a gente.

Pensei na loucura

Na falta de grana

Na intromissão dos outros

Na dificuldade de ensinar, quando eu mesma nem sei.

O coração disparou

As mãos tremeram olhando as duas fitinhas rosa

Duas vezes cansaço

Barulho

Menos tempo

Falta de espaço

Duas vezes amor

Mais

Se o teste fosse um medidor de amor ao invés de gravidez,

Dois risquinhos não iriam bastar

Não existiriam fitinhas o suficiente

Que mostrassem o amor que eu sentia.

Engravidar não é só ser dois.

É ser infinito.

Ser sentimento.

E quando você sente

Nada mais importa.


Desafio da Semana:

3/12 - Uma nova vida


Deixe uma resposta