Seu beijo, faz a memória falhar.

Estar apaixonada é perder alguns sentidos, em troca de viver num universo utópico de mim mesma. A vida nunca foi muito interessante antes de você. Não achei que a audição e a fala fossem me fazer tanta falta. E além disso, você dormindo agora, continua o mais lindo. O seu corpo no meu era o … Continue lendo Seu beijo, faz a memória falhar.

Risoto de funghi secchi

O jantar era na casa dele. Expliquei que era alérgica a ovo. Deveria ter falado que não tenho uma perna? Os últimos homens passaram rápido. Com um toque já não sabiam mais lidar. Contar tem sido terminar relacionamentos que mal começaram, resolvi esperar. Nos dois encontros que tivemos, a rapidez dos pensamentos dele parecia combinar … Continue lendo Risoto de funghi secchi

Envolvendo amor

Lembro de quando eu não tinha tanta importância. Sempre fui lindo, flores botânicas e textura macia, mas eu sentia que era qualquer um. Pensava em como poderia me destacar naquela prateleira tão cheia, de muitos de mim. Cheguei a procurar defeitos nos outros. Um plástico meio aberto, uma estampa tortinha. Sei que não é bacana, … Continue lendo Envolvendo amor

Meu aqui, já acabou

Fui acordando lentamente. Aquele cheiro invadindo meu corpo e buscando cada pedacinho de mim que ainda queria viver. Me surpreendi quando ele encontrou alguns. Eu estava destruída. Tentei me virar, mas a carcaça não respondia. Nem sequer meus olhos abriam, pelo tanto que chorei. Esperei. Não conseguia fazer mais nada além de esperar. E já … Continue lendo Meu aqui, já acabou

Só mais um dia em que não estive

Eu me perco nas cenas que nunca vivi.  Mesmo nas minhas próprias,  que vivo de passagem. Paro pra te ver. Não aguento.  Não pertenço. Me viro.  Sua pele encosta de leve,  nas minhas costas nuas.  Quase tão leve, como eu toco esse momento.  Bicos pontudos, de um sexo vencido pelo cansaço,  instigam meu desejo interminável.  … Continue lendo Só mais um dia em que não estive

Borboletas na cortina

  Deitei no cobertor vermelho e deixei só as pontas dos meus dedos tocarem a grama. Uma textura lisinha e um gelado tão refrescante; acabei me demorando no carinho. Senti um acordar de vida na minha pele e lembrei com pesar de como era antes da expedição. Não, agora não era hora pra reflexões. Faltavam três horas para o primeiro vídeo de contato. Eu precisava … Continue lendo Borboletas na cortina