O fim é a evolução natural das coisas

Onde antes tinha barulho agora som nenhum. Os acontecimentos mais sérios na vida são coisas desacontecendo já reparou como perder é a melhor forma de dar valor? Não que melhor seja a palavra certa. Queria palavra melhor só que melhor foi o melhor que consegui. Você sabe que a onda tá vindo porque a água … Continue lendo O fim é a evolução natural das coisas

Cê não faz ideia de quanta roupa dá pra guardar com uma mão

O menino tem um coração a mais e mesmo assim não sabe o que é amar. A vida é cheia de (d)eficiências amorosas. Já parou pra pensar como deve ser triste um armário trancado e tanta roupa ainda do lado de fora pra guardar? A flor que não vê água mesmo com uma sede danada. … Continue lendo Cê não faz ideia de quanta roupa dá pra guardar com uma mão

O fetiche de viver num mundo melhor

Na casa do casal negro hermafrodita esquizofrênico homossexual quando um não quer dois não brigam. Mas quando os dois querem os quatro brincam. Tudo é bem equilibrado e dividido. Existem regras? Existem. Só que existem mais exceções. Limite também porém inovações vão bem. A sociedade não entende e insisto em dizer que é tudo culpa … Continue lendo O fetiche de viver num mundo melhor

Vazando

E as obras ganharam vida. Estou sendo escravizado por criações minhas. Monstros internos vagando por aí. Angústias, medos e problemas meus, agora assustam outras pessoas. O caderno não fecha mais, tudo o que estava escrito vazou. Fugiram meus desejos, fantasias e amores, personagens dos meus segredos. Posso vê-los andando ali. Ali mesmo, olha ali, consegue … Continue lendo Vazando

O misterioso caso do menino que poemas

Quem nunca errou a medida dos ingredientes? Nunca confundiu centímetros e polegadas? Ou mediu distâncias com a saudade errada? A régua da paixão é mesmo muito difícil de manejar. Quem já tentou alcançar corações sabe que braços sempre são curtos demais. Escrevo à máquina datilografia é uma terapia que ajuda a desestressar mágoas mas todo … Continue lendo O misterioso caso do menino que poemas

Rua 24 de Maio esquina com a Avenida Eduardo Ribeiro

- Paulo? - Hey! Nossa. Que surpresa. - Como cê tá? - É... bem. Tô bem. Acho.. Não, acho não. Tô bem. E você? - Também. - Meo. Qual a chance da gente se encontrar em Manaus? - Bom, eu sempre quis conhecer Manaus. - Que cê tem feito todo esse tempo? - Estudado. Desde … Continue lendo Rua 24 de Maio esquina com a Avenida Eduardo Ribeiro

Um pequeno passo pro homem, um passo gigantesco pra saudade

É tipo uma praia, só que sem água. Uma praia fria. Que os grãos de areia caem da mão em câmera lenta. É vermelho. Vermelho como a terra no sítio do tio Frank. Só que não tem o pomar. Nem a casa. Nem o tio Frank. É grande. Dava pra ter muitos pomares, muitas casas … Continue lendo Um pequeno passo pro homem, um passo gigantesco pra saudade

A vida é imprevisível até quando é previsível

Eu tava chegando em casa quando vi a movimentação. Ninguém precisa te dizer que tem alguma coisa errada. Coisa errada tem cheiro de coisa errada. A rua alternava entre vermelho e azul. Tinha a mesma quantidade de carros de polícia e carros de bombeiro. Pessoas espalhadas em pequenos grupos conversavam olhando pro alto. O trânsito … Continue lendo A vida é imprevisível até quando é previsível