Uma nota que seria pra você ler se eu não tivesse te matado

Escolhi o Bairro Alto estrategicamente. Por causa dos bares e das ruas na lateral. Acabei me esquecendo das ladeiras. A ideia foi simples: Jantar romântico. Estar incrivelmente linda. Te matar. Deixar seu corpo largado ao pé daquela mansão que a gente falou que queria morar junto. Voltar para nossa casa, agora só minha, parando em … Continue lendo Uma nota que seria pra você ler se eu não tivesse te matado

Se eu tivesse tirado férias nada disso teria acontecido

Como ela consegue virar pro lado e começar a ler? Como é que ela consegue fazer qualquer coisa depois desse dia todo sem a gente ter resposta alguma? Ela nem tentou saber da onde veio aquilo. Simplesmente não ligou. Disse “devem ter errado de casa” e pronto. A capacidade que ela tem de se desligar … Continue lendo Se eu tivesse tirado férias nada disso teria acontecido

Kintsugi

As árvores passavam voando ao seu lado.  Vultos estáticos. E mesmo sabendo que eram somente árvores, ela jurava que ouvia assobios.  Com certeza eufóricos com a sua rapidez.  O vento continuava, e não desmentia.  Pedais compassados, ultrapassavam seus próprios recordes.  Para Akemi, ter uma irmã gêmea era todo dia tentar ser outra.  Alguma que fosse … Continue lendo Kintsugi

Amarelo brilhante

Quando eu era criança, minha avó me contou que cada medo tinha uma cor diferente e que se olhássemos atentamente, veríamos várias cores andando por aí vestidas de pessoas. “Então é por isso que o Batman é preto, vó? Porque ele não tem medo de nada?” Depois cresci e não tinha tempo para medos e … Continue lendo Amarelo brilhante