A raiva sofre enquanto a dor do luto se retira

Fica ali Esmagada Transbordando pelas beiradas Querendo se livrar das mãos que reprimem Filtram o que é ruim Não aceito pelos olhos Escorraçado pelas fofocas Tão reprimidas que se tornam vazias A raiva tenta ser Se chacoalha e esquenta o corpo Dá murros e escorre as lágrimas Arrebenta órgãos e faz as mãos tremerem Grita … Continue lendo A raiva sofre enquanto a dor do luto se retira

Aqui não tem pão pro diabo amassar

Mesmo que eu tentasse mentir Você iria me desmascarar Porque todo mundo sabe Que ninguém enxerga E que quando enxerga, ignora Eu te entendo É mais simples Indolor A distância gera alívio   Mas estão todos ali Amontoados Esperançosos Independentes de nós (será?) E essa esperança irrita Insistente não morre E vive em vão   … Continue lendo Aqui não tem pão pro diabo amassar

De quando você me sorri

Sua boca faz um cantinho charmoso que a minha já sente aconchego. Seus dentes bonitos mordem de leve desejo. Lábios macios Airbag pros meus Sua alegria Minha calma. E seu olhar Meu maior amor. Transborda sorriso O mais lindo Encorajam o amanhã. Com um âmbar translúcido Refletem leveza. Transformam qualquer agora Em um pequeno enorme … Continue lendo De quando você me sorri

Oneirikos pagotó

É uma dessas semanas encavaladas, onde as horas ao invés de correrem o espaço circular dos visores dos relógios, são extraídas dos meus ossos, me deixando feito bateria viciada de celular, faminta por carga, faminta por energia para sobreviver mais algumas tarefas, mais alguns passos, até conseguir chegar ao colchão da minha cama e me … Continue lendo Oneirikos pagotó

Aqui dentro é nada

Acordo e continuo no passado Não importa quantos dias amanheçam Ando de um lado pro outro repetindo diálogos Revivendo erros Chorando por lágrimas já secas Tentando encontrar minha quietude Que no desespero da minha mente Some Onde mesmo quando não falo O desconsolo grita mais alto Acordo e sinto que nada acontece E eu sei … Continue lendo Aqui dentro é nada