o terremoto de fora parecia tanto com o terremoto de dentro

o copo tremia e de repente a casa inteira tremia. tudo tremia. as cadeiras tremiam. o suco escorria na mão. as portas do armário batiam os talheres dançavam em cima da mesa e as panelas protestavam sozinhas na pia. o retrato da família caiu virado pra cima e o rachado no vidro separou as pessoas … Continue lendo o terremoto de fora parecia tanto com o terremoto de dentro

o que pintam sobre o amor, no fundo, não é um quarto tão bonito assim

não tem muito espaço pra você neste espaço que é meu. na verdade não tem muito espaço nem pra mim neste espaço que não é seu. já recebi visitas. já passei calor e já passei frio aqui dentro. a vista parece bonita de fora. mas você não faz ideia do cheiro de mofo. tem o … Continue lendo o que pintam sobre o amor, no fundo, não é um quarto tão bonito assim

quantos poemas já não morreram por felicidade?

bem-me-quer. morre uma flor. bem-me-quer. morre outra flor. apesar de bonito o amor é fúnebre. existe mais saudade no cemitério do que na minha cama. eu deito a noite deita e ninguém mais deita. sonho solitário. bem-me-quer. morre mais uma flor. a natureza pouco se importa pro meu ciclo. a vida fora de mim segue. … Continue lendo quantos poemas já não morreram por felicidade?